Qual é a estrada mais antiga do mundo que está em uso contínuo?

Qual é a estrada mais antiga do mundo que está em uso contínuo?

Minhas suspeitas são de que uma estrada em Roma, Itália, provavelmente tem uma forte reivindicação, ou talvez uma estrada no Egito. Só precisa ser uma estrada que está em uso contínuo para o tráfego, seja algum tipo de veículo ou pedestre, até os dias de hoje.

De acordo com as preocupações levantadas por alguns dos comentários, os requisitos são: manutenção regular, algum tipo de sistema de pavimentação, algum tipo de controle sobre a estrada por uma cidade.


Damasco, no sudoeste da Síria, é amplamente considerado o cidade continuamente habitada mais antiga do mundo. Portanto, não é exagero sugerir que a cidade de Damasco tem o estrada mais antiga do mundo. Uma estrada que também atenderia aos seguintes critérios.

1. Sistema de pavimentação 2. Manutenção contínua 3. Controle contínuo por uma cidade 4. Uso contínuo, desde a construção até os dias atuais

Damascus Straight Street é a rua romana Decumanus Maximus e data pelo menos desde o primeiro século DC.

Na época romana, Rua reta tinha 26 metros de largura e 1.570 metros de comprimento, forrado em ambos os lados com pórticos cobertos contendo lojas. A estrada atual segue a mesma linha, começando em Bab Sharqi no leste, cruzando toda a largura da antiga cidade de Damasco, e saindo no final de Suq Madhat Pasha, 20 metros ao norte de Bab al-Jabiya no lado oeste. Contudo, a estrada atual é mais estreita do que a antiga e pode ser mantida cerca de 4 metros acima de seu nível original.


Eu acho que depende da definição de uma estrada.

A maioria das estradas antigas começa como uma trilha de caminho, mais tarde será pavimentada. Talvez diminua e se torne novamente uma trilha.

Acho que algumas das estradas mais antigas serão uma passagem na montanha.

Um exemplo: O Passo do Brenner nos Alpes já era usado na idade da pedra (Ötzi foi encontrado nas proximidades).


A Via Ápia da Itália começou a ser construída em 312 AEC. Ainda está em uso, pelo menos como uma ciclovia. Não tenho certeza se algum do material atual pode ser datado da construção original.

Links: Wikipedia; New York Times (reg. Req.).


Eu votaria na Grand Trunk Road.

EDIT: Acabei de aprender sobre o Ridgeway, na Inglaterra. Mais de 5.000 anos e ainda em uso.


A Tripodon Street, em Plaka, Atenas, tem sido usada continuamente desde 500 a.C.


Lista das construções mais antigas conhecidas

Este artigo lista o sobrevivente mais antigo conhecido autônomo edifícios construídas no mundo, inclusive em cada um dos continentes e dentro de cada país. Um edifício é definido como qualquer estrutura feita pelo homem usada ou interface para apoiar ou abrigar qualquer uso ou ocupação contínua. Para se qualificar para esta lista, uma estrutura deve:

  • seja um edifício reconhecível
  • incorporar características de trabalho de construção desde a data reivindicada até pelo menos 1,5 metros (4,9 pés) de altura
  • estar totalmente concluído ou incluir trabalho de construção a essa altura na maior parte de seu perímetro.
  • conter uma área fechada com pelo menos um ponto de entrada.

Isso exclui deliberadamente ruínas de altura limitada e estátuas. A lista também exclui:

    , um tipo de tumba megalítica de câmara única, geralmente consistindo de três ou mais pedras verticais que sustentam uma grande pedra angular horizontal. Os dolmens eram normalmente cobertos com terra ou pedras menores para formar um túmulo (que estão incluídos na lista). Em muitos casos, essa cobertura se desgastou, deixando apenas o "esqueleto" de pedra do túmulo intacto. Os dolmens neolíticos são extremamente numerosos, com mais de 1.000 relatados apenas em Mecklenburg-Vorpommern, na Alemanha. [1], que são simplesmente grandes pilhas de pedras soltas (em oposição a marcos com câmaras), como Stonehenge, também não contam porque não são fechadas e não têm telhados.

As datas para muitas das estruturas mais antigas foram obtidas por datação por radiocarbono e devem ser consideradas aproximadas.


14 veículos com as placas de identificação mais longas

O cenário automotivo está em constante mudança, com marcas e modelos indo e vindo o tempo todo. Mas existem algumas placas de identificação que continuam a ser renovadas geração após geração. Aqui estão 14 das placas de identificação de mais longa duração nos EUA.

Honda Accord

Em 1976, a Honda apresentou um carro compacto maior do que o Civic. A empresa escolheu o nome "Accord" porque seu objetivo com o modelo era alcançar a harmonia entre a sociedade, as pessoas e os automóveis em meio à crise do petróleo dos anos 1970. O Accord de primeira geração foi oferecido como um hatchback, com um modelo sedan adicionado em 1979. Muitos estilos diferentes de carroceria foram oferecidos desde então, incluindo coupes, vagões e o Crosstour crossover, mas o Accord está em seu melhor como um sedan de tamanho médio.

BMW Série 3

É difícil imaginar uma época em que não houvesse um BMW Série 3, mas antes de 1975, o aclamado sedã esportivo de luxo não existia. A série 3 da geração E21 foi a sucessora do popular 2002. Era maior, mas - inicialmente - não mais potente devido às rígidas regulamentações de emissões. Um motor de seis cilindros acabou sendo oferecido na Europa, mas os EUA tiveram que esperar até 1982 para obter o seis cilindros em linha pelo qual o Série 3 é conhecido hoje. O modelo vem em vários sabores, incluindo o M3 voltado para o desempenho.

Volkswagen Golf

Vendido nos EUA como Volkswagen Rabbit até 1985, o Mark 1 Golf chegou em 1974 como substituto do venerável Beetle. O Golf era fundamentalmente muito diferente do modelo que pretendia substituir, devido ao seu status de hatchback com tração dianteira e motor de quatro em linha refrigerado a água. Mas o carro provou ser um sucesso, vendendo 1,5 milhão de unidades de primeira geração nos EUA. A fórmula também não mudou muito hoje.

Mercedes-Benz Classe S

O modelo Mercedes-Benz S-Class tem muitas iterações desde que chegou no início dos anos 1970. O grande e confortável cruiser tem sido um sinal de requinte e luxo desde então. Cada vez que a Mercedes lança um novo, parece que a barra do luxo sobe um grande passo. O atual Classe S ainda é a referência em sua classe e é oferecido em uma série de formas, incluindo Maybach de ponta e acabamentos AMG esportivos.

Honda Civic

O Honda Civic chegou em 1973, bem a tempo para a crise do petróleo. Como seu irmão mais velho, o Accord, o Civic oferecia transporte econômico em uma época em que os altos preços da gasolina e as sufocantes restrições às emissões tornavam as outras opções menos atraentes. Desde então, o Civic se tornou um produto básico do segmento compacto, oferecendo uma boa combinação de economia de combustível, manuseio e valor.

Nissan Z

O carro Z ajudou a colocar a Nissan (então Datsun) no mapa quando chegou para o ano modelo de 1970. Também ajudou a elevar os carros japoneses como um todo - eles eram amplamente considerados de segunda categoria na época. O Z teve uma lacuna de produção de seis anos entre os modelos 300ZX e 350Z, embora a produção da geração Z32 300ZX tenha continuado no Japão até 2000. A missão do carro Z mudou ao longo dos anos, mas a fórmula básica de uma tração traseira, seis cilindros de duas portas continua até hoje.

Toyota Corolla

O Corolla foi introduzido em 1968. Seguindo a convenção de nomenclatura iniciada pela Toyota Crown, o Corolla recebeu o nome de um antigo cocar. O modelo começou como um minúsculo coupé com tração traseira, mas é mais conhecido hoje nos EUA como um sedã compacto e hatchback com tração dianteira. O Corolla não é apenas uma placa de identificação antiga, mas a Toyota afirma que também é a placa de identificação mais vendida de todos os tempos.

Ford Mustang

Com mais de 50 anos em seu currículo, o Ford Mustang pode afirmar com segurança ser uma das mais antigas placas de identificação contínuas da América. Apresentado pela primeira vez na Feira Mundial de Nova York de 1964/1965, o Mustang estava disponível como coupé ou conversível. Um modelo fastback foi adicionado posteriormente, junto com variantes de alto desempenho como GT, Mach 1 e Boss 302.

Porsche 911

O Porsche 911 chegou em 1963 como um substituto para o 356. O carro original fez o molde para todos os modelos que se seguiram, com sua carroceria coupé simplificada, layout do motor traseiro e motor plano de seis cilindros. Hoje, os 911s não são mais refrigerados a ar e vêm nos sabores turboalimentado e com tração nas quatro rodas. Dito isso, a linhagem ainda é muito fácil de ver.

Mercedes-Benz SL

A placa de identificação do SL remonta a 1954 com o famoso cupê 300SL com porta gullwing. A designação da letra significava "Sport Leicht", ou esporte leve, referindo-se ao corpo de alumínio e estrutura tubular do carro. Uma versão roadster veio em 1957 e, a partir desse ponto, quase todo SL foi um conversível.

Chevrolet Corvette

O Corvette, que estreou em 1953, tem o SL batido por apenas um ano. O modelo de primeira geração, ou C1, era oferecido apenas como conversível com motor de seis em linha ou V-8. Um modelo coupé não apareceu até uma década depois, com a geração C2 em 1963. Oito gerações depois, e o Corvette ainda está forte. Melhor ainda, o C8 finalmente mudou para um layout de motor central, tornando-o um verdadeiro supercarro americano.

Toyota Land Cruiser

O Land Cruiser está à venda há mais de meio século. Muito parecido com o Jeep Wrangler moderno, o Land Cruiser evoluiu de um veículo militar, que é de onde ele obtém sua reputação extremamente robusta. Ao longo dos anos, o Land Cruiser cresceu significativamente, tornando-se mais luxuoso, mas ainda ostentando uma capacidade off-road impressionante. O agora falecido FJ Cruiser foi uma homenagem aos Land Cruisers de antigamente.

Ford F-Series

A família de picapes F-Series da Ford remonta a 1948, com os modelos F-1, F-2 e F-3. Na segunda geração, a série F adotou a convenção de nomenclatura com a qual estamos familiarizados hoje. Hoje, a Série F é de longe a linha de produtos mais vendida da Ford, com 896.526 unidades vendidas em 2019 - não muito longe do número acumulado de carros que a Ford vendeu no ano passado.


Conteúdo

A igreja Batista LaMarsh Mapleton, Il foi fundada em 1838 em um celeiro até que a igreja foi construída mais tarde naquele ano (ou no ano seguinte). A igreja acrescentou um porão na década de 1950, e acrescentou a nova igreja em 1997 (mantendo a antiga igreja em seu local). A partir de 27 de outubro de 2021, eles celebrarão seu 183º aniversário, sendo a 6ª igreja mais antiga de Illinois, a 49ª mais antiga dos Estados Unidos e a 224ª mais antiga do mundo. Eles ainda têm um culto semanal sendo realizado todo domingo de manhã às 10h30, domingo à noite às 18h e quarta-feira à noite às 19h. Eles também têm eventos adicionais, como reuniões de oração (domingo à noite às 17h30), homenagens, VBS e outras atividades.


A Shield Chapel Methodist Church foi fundada e construída em Canton, Illinois, em 1840 e ainda existe hoje, 181 anos depois.

A igreja Batista LaMarsh Mapleton, Il foi fundada em 1838 em um celeiro até que a igreja foi construída mais tarde naquele ano (ou no ano seguinte). A igreja acrescentou um porão na década de 1950, e acrescentou a nova igreja em 1997 (mantendo a antiga igreja em seu local). A partir de 27 de outubro de 2021, eles celebrarão seu 183º aniversário, sendo a 6ª igreja mais antiga de Illinois, a 49ª mais antiga dos Estados Unidos e a 224ª mais antiga do mundo. Eles ainda têm um culto semanal sendo realizado todo domingo de manhã às 10h30, domingo à noite às 18h e quarta-feira à noite às 19h. Eles também têm eventos adicionais, como reuniões de oração (domingo à noite às 17h30), vitórias de almas, VBS e outras atividades.


A Shield Chapel Methodist Church foi fundada e construída em Canton, Illinois, em 1840 e ainda existe hoje, 181 anos depois.


Estudo de DNA descobre a civilização mais antiga do mundo dos aborígenes australianos

O artigo recém-publicado é o primeiro extenso estudo de DNA de aborígenes australianos, de acordo com a Universidade de Cambridge. Trabalhando em estreita colaboração com líderes e anciãos australianos indígenas, uma equipe internacional de pesquisadores obteve permissão para extrair DNA da saliva de 83 aborígenes australianos e 25 papuas da Nova Guiné e sequenciar suas informações genéticas completas.

Crédito: Pete Turner / Getty Images

Embora alguns estudiosos teorizem que os australianos indígenas descendem de uma migração separada e anterior à do povo eurasiano, os autores do estudo relatam que a maioria dos não-africanos provém de um único grupo ancestral de migrantes que deixaram a África há aproximadamente 72.000 anos e eventualmente se espalhou por outros continentes. Embora os grupos ancestrais europeus e asiáticos tenham se tornado distintos no registro genético há cerca de 42.000 anos, os pesquisadores dizem que isso ocorreu ainda antes & # x2014 aproximadamente 58.000 anos atrás & # x2014 no caso dos grupos ancestrais indígenas da Papuásia e da Austrália enquanto se aventuravam para o leste.

& # x201Nossos resultados sugerem que, em vez de ter partido em uma onda separada, a maioria dos genomas de papuas e aborígenes australianos pode ser rastreada até um único evento & # x2018Out of Africa & # x2019 que levou a populações mundiais modernas, & # x201D disse Manjinder Sandhu, um autor sênior do Sanger Institute e da Universidade de Cambridge, em um comunicado divulgado pela universidade. & # x201C pode ter havido outras migrações, mas as evidências até agora apontam para um evento de saída. & # x201D

Cerca de 50.000 anos atrás, a onda de migração atingiu Sahul, um supercontinente pré-histórico composto pela atual Austrália, Tasmânia e Nova Guiné, antes de sua separação pelo aumento do nível do mar há 10.000 anos. Naquela época, de acordo com os autores do estudo, os australianos aborígenes tornaram-se geneticamente isolados, tornando-se a civilização mais antiga do mundo.

Caçador aborígine no Outback australiano. (Crédito: Grant Faint / Getty Images)

O estudo também descobriu que aborígenes australianos e papuas divergiam uns dos outros cerca de 37.000 anos atrás, embora o motivo não seja claro porque a separação de água entre a Nova Guiné e a Austrália ainda não foi concluída. Os pesquisadores teorizam que a quebra pode ter sido atribuída à inundação precoce da Bacia Carpentaria, que deixou a Austrália conectada à Nova Guiné por apenas uma faixa estreita e intransitável de terra. Há 31.000 anos, as comunidades aborígines australianas tornaram-se geneticamente isoladas e começaram a divergir muito umas das outras, provavelmente devido ao desenvolvimento do deserto inóspito no interior do continente.

& # x201A diversidade genética entre os australianos aborígines é incrível, & # x201D disse Anna-Sapfo Malaspinas, uma das autoras principais e professora assistente nas Universidades de Copenhague e Berna. & # x201CComo o continente está povoado há muito tempo, descobrimos que os grupos do sudoeste da Austrália são geneticamente mais diferentes do nordeste da Austrália do que, por exemplo, os nativos americanos são dos siberianos. & # x201D

Os estudiosos há muito se confundem com o motivo pelo qual a língua falada por 90% dos aborígines australianos é relativamente jovem & # x2014aproximadamente 4.000 anos, de acordo com especialistas em línguas & # x2014 se seus ancestrais ocuparam o continente muito antes. Uma resposta possível é que uma segunda migração para a Austrália por pessoas que falam essa língua ocorreu há cerca de 4.000 anos. Os autores do novo estudo, no entanto, dizem que uma dispersão interna não identificada de aborígines que se espalhou do nordeste pela Austrália naquela época levou à ligação lingüística e cultural dos povos indígenas do continente. Embora tenham tido um impacto abrangente na cultura australiana antiga, esses migrantes & # x201Cghost-like & # x201D desapareceram misteriosamente do registro genético.

Crédito: Ingetje Tadros / Getty Images

& # x201CIt & # x2019s um cenário realmente estranho, & # x201D disse o geneticista evolucionista Eske Willerslev, principal autor do estudo e professor do Centro de GeoGenética da Universidade de Copenhagen. & # x201CA poucos imigrantes aparecem em diferentes vilas e comunidades em toda a Austrália. Eles mudam a maneira como as pessoas falam e pensam e depois desaparecem, como fantasmas. E as pessoas continuam vivendo isoladas da mesma forma que sempre viveram. Isso pode ter acontecido por razões religiosas ou culturais sobre as quais podemos apenas especular. Mas, em termos genéticos, nunca vimos nada parecido antes. & # X201D

Uma outra descoberta notável do estudo de DNA é a evidência de um grupo de hominídeos & # x201Cuncharacterized & # x201D que cruzou com humanos modernos enquanto migravam pelo sudeste da Ásia a caminho da Austrália. De acordo com o estudo, cerca de quatro por cento do genoma aborígine australiano vem desse parente humano desconhecido. & # x201CNós não sabemos quem eram essas pessoas, mas elas eram parentes distantes dos denisovanos (uma espécie humana extinta da Sibéria), e os ancestrais papuanos / australianos provavelmente os encontraram perto de Sahul, & # x201D Willerslev disse.

VERIFICAÇÃO DE FATO: Buscamos precisão e justiça. Mas se você ver algo que não parece certo, clique aqui para entrar em contato conosco! A HISTÓRIA revisa e atualiza seu conteúdo regularmente para garantir que esteja completo e preciso.


Conteúdo

A universidade como uma instituição foi historicamente enraizada na sociedade medieval, que por sua vez influenciou e moldou: [8]

A universidade é uma instituição europeia de fato, é a instituição europeia por excelência. Existem várias razões para esta afirmação. Enquanto comunidade de professores e docentes, dotada de certos direitos, como a autonomia administrativa e a determinação e realização dos currículos (cursos) e dos objetivos de investigação, bem como a atribuição de diplomas publicamente reconhecidos, é uma criação da Idade Média. Europa, que era a Europa do cristianismo papal [. ]

Do início do período moderno em diante, a universidade gradualmente se espalhou do Ocidente latino medieval por todo o mundo, eventualmente substituindo todas as outras instituições de ensino superior e se tornando a instituição proeminente de ensino superior em todos os lugares. O processo ocorreu na seguinte ordem cronológica: [9]

  • Europa Meridional e Ocidental (do século 11 ou 12)
  • Europa Central e do Norte (século XIV ou XV)
  • Américas (do século 16)
  • Austrália (do século 19)
  • Ásia e África (do século XIX ou XX), com exceção das Filipinas, onde a Universidade de Santo Tomas foi fundada no século XVII.

Essa lista inclui universidades medievais que foram fundadas antes de 1500 e que mantiveram a continuidade institucional desde então. Vários deles foram fechados por breves períodos: por exemplo, a Universidade de Siena foi fechada de 1805 a 1815 durante as guerras napoleônicas, e as universidades que não falavam alemão na República Tcheca e na Polônia foram fechadas durante a ocupação nazista, 1939 a 1945.

Ano Universidade Localização Notas
Original Atual
1180–1190 [10]
(ensino de c. 1088)
Universidade de Bolonha Reino da Itália,
sagrado Império Romano
Bolonha, Itália As escolas de direito existiam em Bolonha desde a segunda metade do século XII, sendo 1088 frequentemente considerada a data em que começou o ensino fora das escolas eclesiásticas. [11] Em 1158, petições de doutores bolonheses levaram ao imperador Barbarossa concedendo o "Autêntico Habita", que concedeu vários direitos a estudantes e mestres, mas não mencionou Bolonha ou qualquer outro local de estudo em particular. [12] No entanto, é improvável que a universidade tenha se organizado na década de 1150, e isso pode ter sido apenas no Década de 1180. [13] As faculdades de direito parecem ter permanecido entidades privadas e independentes até cerca de 1180, mas foram organizadas na década seguinte. Em 1189, os mestres fizeram um acordo com a comuna para não transferir os studium para outra cidade, enquanto os estudantes lombardos foram organizados em uma 'nação' em 1191. [11] [14]
1200–1214 [15]
(ensino de c. 1096)
Universidade de Oxford Reino da inglaterra Oxford, Reino Unido O ensino existia em Oxford desde o final do século 11, [16] com a universidade dando a data de 1096 para as primeiras classes. [17] No entanto, não foi até o início do século 13 que as escolas em Oxford assumiram um caráter organizado. Em 1201, uma carta papal descreveu John Grimm como magister scolarum Oxonie. [18] Em 1209 os mestres suspenderam seu ensino em Oxford e se mudaram para outras cidades (incluindo Cambridge, levando à fundação da universidade lá), [19] retornando após uma bula emitida em 20 de junho de 1214 pelo legado papal, Niccolò de Romanis, que concedeu vários direitos à universidade e estabeleceu o cargo de reitor. [20] Tanto Oxford quanto Cambridge receberam direitos de disciplina sobre os alunos e de fixar aluguéis em cartas emitidas pelo rei Henrique III em 1231. [21] Uma carta real, às vezes chamada de Magna Carta da universidade, foi concedida em 1244 , concedendo direitos adicionais à universidade. [22] A universidade recebeu uma bula papal Querentes em agro em 1254, com uma primeira versão publicada em 27 de setembro e uma segunda versão em 6 de outubro. A primeira versão seguia a forma comum de privilégios concedidos às casas monásticas, confirmando as liberdades e imunidades concedidas à universidade e colocando os membros da universidade sob proteção papal, mas a segunda versão (que era a versão registrada no registro papal) explicitamente reconheceu e aprovou a existência da universidade como uma comunidade acadêmica e confirmou suas "liberdades, costumes antigos e estatutos aprovados". [23]
1209–1225 [24] Universidade de Cambridge Reino da inglaterra Cambridge, Reino Unido Fundada por acadêmicos que deixaram Oxford após uma disputa causada pela execução de três acadêmicos em 1209. [19] A universidade foi organizada sob um chanceler em 1225. [25] A universidade leva 1209 como seu aniversário oficial. [26] Junto com Oxford, Cambridge recebeu direitos de disciplina sobre seus alunos e de fixar aluguéis em cartas emitidas pelo rei Henrique III em 1231. [21] Ela recebeu o reconhecimento papal como uma corporação acadêmica por meio de um indulto concedido pelo Papa Gregório IX em 1233 e foi nomeado como um Studium Generale na bula papal Inter singula em 1318. A visão tradicional era que isso o elevou a um Studium Generale mas estudos mais recentes (que agora são geralmente, embora não universalmente, aceitos) vêem o touro como uma confirmação, em vez de conferir, esse status. [27] [28]
Por 1218-1219 [24] Universidade de Salamanca Reino de leon Salamanca, Espanha A universidade mais antiga do mundo hispânico. A universidade foi fundada por Alfonso IX de Leão em 1218 e reconhecida por uma bula papal do Papa Alexandre IV em 1255. [29]
1222 [24] Universidade de Pádua Comuna medieval de Pádua Pádua, Itália Fundada por acadêmicos e professores após deixar Bolonha. Recebeu o primeiro grau no mundo conferido a uma mulher, Elena Cornaro Piscopia, em 1678. [30] [31]
1224 [24] Universidade de Nápoles Federico II Reino da Sicília Nápoles, Itália Afirma ser a universidade pública mais antiga do mundo, [32] como uma das primeiras a ser fundada por um chefe de estado, Frederico II, rei do Reino da Sicília. Refundado em 1234, 1239 e 1465, e fechado em 1490-1507. [33]
1290 [24] Universidade de Coimbra Reino de portugal
Coimbra, Portugal Originalmente estabelecido em Lisboa, mas realocado para Coimbra de 1308 a 1338 e novamente de 1354 a 1377, [24] antes de finalmente se mudar definitivamente para Coimbra em 1537. [34]
1293
(Reconhecimento papal 1346) [24]
Universidade de Valladolid Coroa de Castela Valladolid, Espanha Fundada no final do século 13, [24] provavelmente pela cidade, [35] com a primeira referência documentada datando de 1293. [36]
1308 [24] Universidade de Perugia Estados papais Perugia, Itália A história da universidade remonta a 1276 e os estatutos foram concedidos em 1306 antes da bula do Papa Clemente V de 8 de setembro de 1308. [37]
1347 [24] Charles University Reino da Boêmia,
sagrado Império Romano
Praga, República Tcheca As faculdades de teologia, direito e medicina fecharam durante a Reforma Boêmia, restando apenas a faculdade de artes liberais. Tornou-se a Universidade Charles-Ferdinand após a Guerra dos Trinta Anos, com todas as quatro faculdades restauradas. Dividida em partes alemãs e checas em 1882, a filial tcheca restaurou o nome Charles University após a independência em 1918 e fechou brevemente durante a ocupação nazista (1939–1945), enquanto a filial alemã fechou permanentemente em 1945. [38]
1357 [24]
(originalmente 1246-1252) [24]
Universidade de Siena República de siena Siena, Itália Afirma ter sido fundado em 1240 pela Comuna de Siena, [39] embora Rashdall datar a proclamação do Studium em 1246, quando Frederico II tentou proibir a viagem de estudiosos a Bolonha, data também fornecida por Verger. [24] Foi concedida algumas isenções de impostos pelo Papa Inocêncio II em 1252, mas fechou logo depois, quando os estudiosos retornaram a Bolonha. Tentativas de reavivamento em 1275 e (alimentadas por novas migrações de curta duração de estudiosos de Bolonha) em 1321 e 1338 foram malsucedidas. Ganhou um touro imperial em 1357 "concedendo-o de novo os 'privilégios de um Studium Generale. '", mas não estava firmemente estabelecido até" [n] em 1408 uma nova concessão de privilégios foi obtida do Papa Gregório XII ". [40] Fechado temporariamente em 1808-1815 quando as forças napoleônicas ocuparam a Toscana. [39]
1361 [24] Universidade de Pavia Domínio da Casa de Visconti Pavia, Itália Transferido para Piacenza 1398–1412. [24] Fechado por curtos períodos durante as Guerras Italianas, Guerras Napoleônicas e Revoluções de 1848.
1365 [24] Universidade de viena sagrado Império Romano Viena, Áustria
1385 [24] Universidade Ruprecht Karl de Heidelberg Heidelberg, Alemanha
1397 [24]
(originalmente 1364 - antes de 1370) [24]
Universidade Jagiellonian Reino da polônia Cracóvia, Polônia Fundado pelo Rei Casimiro, o Grande como um Studium Generale mas deixou de existir após sua morte em 1370. A faculdade de teologia foi restabelecida em 1397 e a Rainha Jadwiga deixou uma grande doação para a universidade após sua morte em 1399. Foi formalmente refundada em 26 de julho de 1400 pelo Rei Vladislaus Jagiełło. Depois que Cracóvia foi incorporada à Áustria em 1795, a universidade foi fundida com a Universidade de Lviv de 1805 a 1809, quando Cracóvia passou a fazer parte do Grão-Ducado de Varsóvia. A universidade foi fechada à força durante a ocupação alemã da Polônia (1939–1945). A equipe foi deportada para campos de concentração nazistas, e muitas de suas coleções foram deliberadamente destruídas pelas autoridades ocupantes alemãs. Palestras subterrâneas continuaram para cerca de 800 alunos durante este período e a universidade foi formalmente reaberta em 1945. [41]
c. 1400 [24]
(originalmente 1343 a c. 1360) [24]
Universidade de pisa República de pisa Pisa, Itália Fundado em 1343, mas fechado por volta de 1360, foi fundado novamente no início do século XV. [24] Fundada formalmente em 3 de setembro de 1343 por uma bula do Papa Clemente VI, embora de acordo com a universidade "vários estudiosos afirmem que sua origem remonta ao século 11". Transferido para Pistoia, Prato e Florença entre 1494 e 1543. [42]
1404 [24] Universidade de turim Ducado de Sabóia Torino, Itália
1409 [24] Universidade de Leipzig sagrado Império Romano Leipzig - Alemanha
1411 [24] –1413 [43] Universidade de St. Andrews Reino da Escócia St. Andrews, Reino Unido Uma escola de estudos superiores foi fundada em 1410 e foi fundada pelo bispo Henry Wardlaw em 1411. Status universitário completo conferido por uma bula papal do Antipapa Bento XIII em 28 de agosto de 1413. [43]
1419 [24] Universidade de Rostock sagrado Império Romano Rostock, Alemanha A operação contínua durante a Reforma é contestada. Algumas fontes afirmam que "a universidade católica de Rostock fechou completamente e o encerramento foi longo o suficiente para fazer com que o corpo refundado se sentisse uma nova instituição". [44] e que "[a universidade] entrou em decadência completa após o início da Reforma em (1523) quando as receitas da universidade foram perdidas e as matrículas cessaram". [45] No entanto, Johann Oldendorp é relatado por várias fontes como tendo exercido uma cátedra na universidade de 1526-1534, embora isso não seja provado sem sombra de dúvida, [46] e outros historiadores referem-se aos "professores universitários restantes" como planos de apoio para restaurar as receitas da universidade em 1532 (o que acabou sendo realizado por meio da Rostock Formula concordiae em 1563). [47] Existem registros de vários professores sendo nomeados em 1551, incluindo Johannes Aurifaber, David Chytraeus e Johann Draconites [de]. [48] ​​[49]
1430 [24]
(originalmente 1391–1394) [24]
Universidade de Ferrara Casa de Este Ferrara, Itália
1431 [24]
(originalmente 1303 a c. 1400) [24]
Universidade Sapienza de Roma Estados papais Roma, Itália Fundada em 1303, mas fechada no final do século 14, refundada em 1431. [24]
1444 [24] Universidade de Catania Reino da Sicília Catania, Itália
1450 [24] Universidade de barcelona Coroa de Aragão Barcelona, ​​Espanha Fundado por Alfonso V de Aragão em 3 de setembro de 1450 como o Estudi General de Barcelona. A partir de 1401, a cidade teve uma escola de medicina fundada pelo rei Martin de Aragão (o Estudi General de Medecina de Barcelona), à qual foi acrescentada uma faculdade de artes em 1402. Antes disso, havia cátedras de ensino superior (associadas à catedral, ao Convento Dominicano de Santa Carolina e ao escoles maiores apoiado pelo conselho de administração da cidade) do século XIII. [50]
1451 [24] Universidade de Glasgow Reino da Escócia Glasgow, Reino Unido
1456 [24] University of Greifswald sagrado Império Romano Greifswald, Alemanha Alguns professores de Rostock ensinaram temporariamente em Greifswald entre 1437 e 1443 devido à agitação em Rostock. A universidade foi fundada em 1456 pelo duque Wartislaw IX com a aprovação do Papa Callixtus III por iniciativa de Heinrich Rubenow, Lord Mayor de Greifswald (e primeiro reitor). O ensino foi interrompido temporariamente durante a Reforma Protestante (1527–39). [51]
1457 [24] Universidade Albert Ludwigs de Friburgo Freiburg, Alemanha Uma bula papal de 1455 autorizou o bispo de Constança a estabelecer uma universidade e, em 1457, uma carta ducal de Albert VI, o arquiduque da Áustria, fundou a universidade. [52]
1459 [24] Universidade da Basileia Basel, Suíça
1459 [24] –1472 [53] Universidade Ludwig Maximilian de Munique Munique, Alemanha Fundada em Ingolstadt em 1472 com uma Bula Papal obtida em 1459 do Papa Pio II por Luís, o Rico, transferida para Landshut em 1800 e depois para Munique em 1826. [53]
1475 [24] Universidade de Copenhague Reino da Dinamarca dentro do
Kalmar Union
Copenhague, Dinamarca
1476 [24] Universidade Eberhard Karls de Tübingen sagrado Império Romano Tübingen, Alemanha
1477 [24] Universidade de Uppsala Reino da Suécia dentro do
Kalmar Union
Uppsala, Suécia Fundada em 1477 pelo arcebispo católico Jakob Ulvsson. Decadente devido à agitação política na primeira década do século 16 e depois com a Reforma nas décadas de 1620 e 30, permanecendo "apenas uma ideia sem conteúdo real" até ser re-fretada em 1595. [54]
1495 [24] Universidade de Aberdeen Reino da Escócia Aberdeen, Reino Unido O King's College foi fundado por uma bula papal em 1495 e depois o Marischal College em 1593, eles se fundiram em 1860. [55]
1499 [24] Universidade Complutense de Madrid Coroa de Castela Madri, Espanha UMA Studium Generale foi fundada por Sancho IV de Castela em 1293 em Alcalá de Henares. Muito pouco se sabe sobre esta instituição nos próximos dois séculos. [56] Em 1499, uma bula papal foi concedida pelo Papa Alexandre VI autorizando o arcebispo Cisneros a estabelecer uma Colegio Mayor em Alcalá com os mesmos poderes das universidades de Salamanca e Vallodolid, a partir da qual Verger a considera uma universidade. [24] A nova universidade foi inaugurada em 1509. [57] A universidade foi transferida para Madrid em 1836 por decreto real. [58]
1500 [24] Universidade de valencia Coroa de Aragão Valência, Espanha

A maioria dos países europeus tinha universidades em 1500. Depois de 1500, as universidades começaram a se espalhar para outros países em todo o mundo. Muitas universidades foram estabelecidas em institutos de ensino, como escolas e faculdades que podem ter sido fundadas significativamente antes, mas não foram classificadas como universidades em sua fundação, o que normalmente é descrito nas notas dessa instituição. In some countries (particularly the US and those influenced by its culture), degree-granting higher education institutions that would normally be called universities are instead called colleges, in this case both the oldest institution that would normally be regarded as a university and the oldest institution (if different) to actually be called a university are given. In many parts of the world the first university to have a presence was an institution based elsewhere (often the University of London via the affiliation of a local college) where this is different from the first locally established university both are given.

Africa Edit

Localização Current name Ano Notas
Current Original
Argélia
(Algiers)
French Algeria
(Algiers)
University of Algiers 1909
Angola
(Luanda)
Portuguese Angola
(Luanda)
Agostinho Neto University 1962 Founded as Estudos Gerais Universitários de Angola. Was renamed Universidade de Luanda (University of Luanda) in 1968. After Angolan independence from Portugal in 1975, the institution was renamed the University of Angola (Universidade de Angola) In 1985 it was renamed Agostinho Neto University, in honour of Agostinho Neto, the first President of Angola.
Benin
(Abomey-Calavi)
Republic of Dahomey
(Abomey-Calavi)
University of Abomey-Calavi 1970 Originally the University of Dahomey. Renamed the National University of Benin in 1975 and took its current name in 2001.
Botswana
(Gaborone, Francistown, Maun)
University of Botswana 1964 (as part of the University of Botswana, Lesotho and Swaziland university 1982)
Burkina Faso
(Ouagadougou)
Republic of Upper Volta
(Ouagadougou)
University of Ouagadougou 1974
Burundi
(Bujumbura)
Kingdom of Burundi
(Bujumbura)
University of Burundi 1964
Camarões
(Yaoundé)
Federal Republic of Cameroon
(Yaoundé)
University of Yaoundé 1962 In 1993 following a university reform the University of Yaounde was split into two (University of Yaoundé I and University of Yaoundé II) following the university branch-model pioneered by the University of Paris.
Cape Verde
(Praia)
Jean Piaget University of Cape Verde 2001 as a result of the merger of the two previously existing higher education establishments (ISE and ISECMAR)
Central African Republic
(Bangui)
University of Bangui 1969
Chad
(N'Djamena)
University of N'Djamena 1971 Originally the University of Chad, renamed the University of N'Djamena 1994.
Comoros
(Moroni)
University of the Comoros 2003 [59]
DR Congo
(Kinshasa)
Belgian Congo
(Kinshasa)
University of Kinshasa 1954 Originator established as the Lovanium University, affiliated to the Catholic University of Leuven. Merged into the National University of Zaire in 1971 then demerged under its current name in 1981.
Congo
(Brazzaville)
People's Republic of the Congo
(Brazzaville)
Marien Ngouabi University 1971 Founded as the University of Brazzaville in 1971, changed to current name in 1977.
Djibouti
(Djibouti City)
University of Djibouti 2006
Egito
(Giza)
Khedivate of Egypt
(Cairo)
Cairo University 1908 The oldest university in Egypt and second oldest higher education institution (after Al-Azhar University, which was founded as a madrasa c. 970 and became a university in 1962)
Equatorial Guinea
(Malabo)
National University of Equatorial Guinea 1995
Eritrea
(Mai Nefhi)
Eritrea Institute of Technology 2003 Founded following the closure of the University of Asmara, which had been established as a college in 1958
Eswatini
(Kwaluseni)
Swaziland
(Kwaluseni)
University of Eswatini 1964 (as part of the University of Botswana, Lesotho and Swaziland university 1982 Originally established as the University of Swaziland, changed to current name in 2018
Etiópia
(Addis Ababa)
Ethiopian Empire
(Addis Ababa)
University of Addis Ababa 1950 (as college offering degree courses university 1962) The university was originally called the University College of Addis Ababa in 1950, offering courses leading to degrees of the University of London. It became Haile Selassie I University in 1962, named after the Ethiopian Emperor Haile Selassie I. The institution received its current name in 1975.
Gabon
(Libreville)
Omar Bongo University 1970 Founded as the National University of Gabon and took current name in 1978
Gambia
(Serekunda)
University of the Gambia 1999
Gana
(Accra)
Costa Dourada
(Accra)
University of Ghana 1948 (as affiliate college of the University of London university 1961) [60] Founded as the University College of the Gold Coast, an affiliate college of the University of London which supervised its academic programmes and awarded the degrees. It gained full university status in 1961.
Guinea
(Conakry)
Gamal Abdel Nasser University of Conakry 1962 [61]
Guinea-Bissau
(Bissau)
Universidade Colinas de Boé 2003
Universidade Amílcar Cabral 2003
Ivory Coast
(Abidjan)
Université Félix Houphouët-Boigny 1964 (as main campus of the University of Abidjan university 1996)
Quênia
(Nairobi)
Colony and Protectorate of Kenya

Asia Edit

Localização Current name Ano Notas
Current Original
Afeganistão
(Kabul)
Kingdom of Afghanistan
(Kabul)
Kabul University 1931 Founded in 1931, formally opened 1932.
Bahrain
(Sakhir, Isa Town)
University of Bahrain 1986
Bangladesh
(Dhaka)
British Raj
(Dhaka, Eastern Bengal and Assam)
University of Dhaka 1921 First university in Bangladesh, opened 1 July 1921. [74]
Bhutan
(Thimphu)
Royal University of Bhutan 2003
Brunei
(Bandar Seri Begawan)
University of Brunei Darussalam 1985
Camboja
(Phnom Penh)
French Protectorate of Cambodia
(Phnom Penh)
Royal University of Fine Arts 1918
China Song Empire
(Yuelu Mountain, Changsha, Hunan)
Hunan University 1903 (as university academy 976) Known in Chinese as 湖南大学. The university was originally called the Yuelu Academy in 976 and was converted into Hunan Institute of Higher Learning (with university status) in 1903. It was later renamed Hunan Normal College, Hunan Public Polytechnic School, and finally Hunan University in 1926. [75]
Qing Empire
Peking University 1898 First modern national university in China, which original name was Imperial University of Peking (京师大学堂). It is the successor of Guozijian, or Imperial College, which was founded in 1306.
Tianjin University 1895 The first higher education institution in China. It was established in 1895 as Imperial Tientsin University (天津北洋西學學堂) and later Peiyang University (北洋大學). In 1951, after restructuring, it was renamed Tianjin University, and became one of the largest multidisciplinary engineering universities in China.
Nanjing University 1888 Traces its origins to a Confucian institution Taihsueh (太學), which was founded in 258. Known in Chinese as Jinling University (金陵大学). Was a private university later merged with the public University of Nanjing (南京大学). First institution in China to use the English term "university". Educational institutions were closed in China on 13 June 1966 due to the Cultural Revolution, reopening in July 1967. [76]
East Timor National University of East Timor 2000
Hong Kong Hong Kong The University of Hong Kong 1911 (as university college 1887) Founded as the Hong Kong College of Medicine for Chinese in 1887, incorporated as a university in 1911
India
(Serampore)
Danish India
(Serampore)
Serampore College 1827 (as university college 1818) Incorporated and granted university status and the right to award degrees by royal charter of Frederick VI of Denmark on 23 February 1827, endorsed by the Bengal Government Act 1918. [77]
India
(Kolkata)
British Raj
(Calcutta, Bengal Presidency)
University of Calcutta 1857 First full-fledged multi-disciplinary university in South Asia. The University of Bombay and the University of Madras were subsequently established in the same year
India
(Mumbai)
British Raj
(Bombay, Bombay Presidency)
University of Mumbai Called the University of Bombay until 1996.
India
(Chennai)
British Raj
(Madras, Madras Presidency)
University of Madras
Indonésia Dutch East Indies University of Indonesia 1924 (as hogeschool medical school 1851 university 1947) Incorporates the medical school founded as the Dokter-Djawa School Batavia in 1851, which became the Geneeskundige Hogeschool in 1927 and the Rechts Hogeschool founded in 1924.
Bandung Institute of Technology 1920 Founded as Technische Hogeschool. Renamed in 1959.
Irã Imperial State of Persia University of Tehran 1934 founded by Rezā Shāh, incorporating portions of the Dar ul-Funun Polytechnic Institute (1851) and the Tehran School of Political Sciences (1899)
Iraque Kingdom of Iraq University of Baghdad 1956 the Iraqi Royal College of Medicine was established in 1928
Israel império Otomano Technion – Israel Institute of Technology 1912 (opened 1924) founded in 1912, but formal teaching began in 1924
Occupied Enemy Territory Administration Hebrew University of Jerusalem 1918
Japão Empire of Japan University of Tokyo 1877 Previous names are University of Tokyo (1877–1886), Imperial University (1886–1897), and Tokyo Imperial University (1897–1947). Its origins include a private college of Confucian studies founded by Hayashi Razan in 1630, [78] Tenmonkata (The Observatory, 1684) [79] and Shutōsho (Smallpox Vaccination Centre, 1849). [80]
The university was established in 1877 by the merger of three institutions: Shoheiko (Japanese and Chinese Literature, established 1789), Yogakusho (Occidental Studies, established 1855) and Shutosho (Vaccinations, established 1860), originally as Tokyo University before becoming the Imperial University and then Tokyo Imperial University before reverting to its original name after World War II. [81]
Keio University 1920 (as university school for Dutch studies 1858) Founded as a "school for Dutch studies" in 1858. College with three university departments (literature, law and economics) established 1890. Accredited as a university by the Japanese government in 1920. [82]
Ryukoku University 1876 (as "Daikyoko (Great School)" school 1639 university 1922 Traces its origins to a school for Buddhist monks of the Nishi Hongan-ji denomination founded in 1639. Assumed its current name and became a university under the University Ordinance in 1922. [83]
Jordânia University of Jordan 1962
Cazaquistão União Soviética
(Kazakh Autonomous Socialist Soviet Republic)
Al-Farabi Kazakh National University 1933
Kuwait University of Kuwait 1966
Kyrgyzstan União Soviética
(Kirghiz Soviet Socialist Republic)
Kyrgyz National University 1951 (as university institute of education 1925)
Laos National University of Laos 1996
Lebanon império Otomano American University of Beirut 1866 (as degree-awarding college university 1920) Originally Syrian Protestant College, chartered by the State of New York, took current name in 1920
Saint Joseph University 1872
Macau Macau University of Macau 1981 established as University of East Asia in 1981, renamed 1991
Malásia British Malaya University of Malaya 1905 Established as Straits Settlements and Federated Malay States Government Medical School on 13 July 1905 in Singapore
Maldives Maldives National University 1998 (as degree awarding college university 2011) Established in 1998 as the Maldives College of Higher Education, establishing its first degree course in 2000. Became the Maldives National University in 2011. [84]
Mongólia Mongolian People's Republic National University of Mongolia 1942
Myanmar Birmânia Rangoon University 1878 [85]
Nepal Nepal Tribhuvan University 1959 [86]
North Korea Coréia
(Provisional People's Committee for North Korea)
Kim Il-sung University 1946
Oman Sultan Qaboos University 1986 [87]
Paquistão British Raj
(Punjab)
University of the Punjab 1882 Established by British colonial authorities in 1882 as the first university in what would become Pakistan. [88]
Government College University, Lahore 1864 (as affiliated college of the University of Calcutta university 2002) Established as Government College, Lahore, 1864. Became an independent university in 2002. [89]
Palestine Israeli Military Governorate Bethlehem University 1973 [90]
Filipinas Captaincy General of the Philippines University of Santo Tomas 1645 (college 1611) Founded on 28 April 1611 by the Order of Preachers and raised to university status by Pope Innocent X in 1645. The National Historical Commission of the Philippines recognizes it as the oldest university in the country as well as in Asia. [91]
Qatar Qatar University 1977 [92]
Arábia Saudita King Saud University 1957
Cingapura Straits Settlements National University of Singapore 1905 Founded as Straits and Federated Malay States Government Medical School
South Korea Joseon Sungkyunkwan University 1895 (as university royal institution 1398) Sungkyunkwan was established in 1398 as the highest educational institution of the Joseon Dynasty. In 1895, Sungkyunkwan was reformed into a modern three-year university after the national state examination was abolished the previous year. It was again reorganized as Sungkyunkwan University in 1946 at the end of the Japanese occupation of Korea.
Sri Lanka Ceilão University of Colombo 1942 Formed in 1942 as the University of Ceylon by the amalgamation of University College Colombo (established 1921) and Ceylon Medical College (established in 1870). Was part of the University of Sri Lanka 1972–1978. [93]
Síria State of Damascus University of Damascus 1923 founded in 1923 through the merger of the School of Medicine (established 1903) and the Institute of Law (established 1913)
Taiwan Japanese Taiwan National Taiwan University 1928 Founded as Taihoku (Taipei) Imperial University
Tajikistan União Soviética
(Tajik Soviet Socialist Republic)
Tajik National University 1947
Turkmenistan União Soviética
(Turkmen Soviet Socialist Republic)
Turkmen State University 1950 (as university pedagogical institute 1931)
Tailândia Chulalongkorn University 1917 (as university college 1899)
United Arab Emirates United Arab Emirates University 1976
Vietnã French Indochina Hanoi Medical University 1902
Vietnam National University, Hanoi 1904 Originally the University of Indochina, first full subject university in Vietnam.
Yemen North Yemen Sana'a University 1970

Europa Editar

While Europe had 143 universities in 1789, the Coalition wars took a heavy toll, reducing the number to 83 by 1815. The universities of France were abolished [2] and over half of the universities in both Germany and Spain were destroyed. By the mid 19th century, Europe had recovered to 98 universities. [94]

Its ultimate origins lie in a madrasa and institute of higher education founded by the Ottoman Sultan Mehmed II in 1453 was reformed to Western style of education with multiple faculties of sciences in 1846 and gained university status in 1933.

Listed by Rüegg in A History of the University in Europe as meeting standard criteria for recognition as a university from 1832 [114]
Established under the authority of the University of Durham Act 1832. [117] Recognised as a university in the Municipal Corporations Act 1835 and the Established Church Act 1836. [118] [119] Incorporated and confirmed by Royal Charter in 1837 and degrees granted equal privileges with those of Oxford and Cambridge by the Attorneys and Solicitors Act 1837. [120] [121]

Listed by Rüegg as meeting standard criteria for recognition as a university from 1836 [114]
Established by Royal Charter as degree awarding examining body for King's College London and University College London (see below), the London medical schools, and other institutions. [123] Degrees granted equal privileges with those of Oxford and Cambridge by the Attorneys and Solicitors Act 1837. [121]
University College London (founded 1826 charter 1836) and King's College London (charter 1829 [124] ) claim to be the third and fourth oldest universities in England, [125] [126] [127] but did not offer degree courses prior to the foundation of the University of London [128] and did not gain their own degree awarding powers until 2005 and 2006 respectively. [129] [130] They are listed by Rüegg as colleges of the University of London rather than as a universities. [114]

Founded 1845, as a university college offering courses leading to degrees of the Queen's University of Ireland then the Royal University of Ireland, gained university status in 1908. [131]

Latin America and the Caribbean Edit

Localização Current name Ano Notas
Current Original
Anguilla
Antigua and Barbuda
Bahamas
Barbados
Belize
British Virgin Islands
Cayman Islands
Dominica
Grenada
Jamaica
Montserrat
St. Kitts and Nevis
St. Lucia
St. Vincent and the Grenadines
Trinidad e Tobago
Turks and Caicos
Jamaica University of the West Indies 1948 (as affiliated college of the University of London university 1962) First campus opened in Jamaica as the University College of the West Indies associated with the University of London in 1948. Gained independent university status in 1962.
Argentina Spanish Empire National University of Córdoba 1613 the oldest university in Argentina
Belize Belize University of Belize 2000
Bolivia Spanish Empire University of Saint Francis Xavier 1624 Founded in 1624 by order of the Spanish King Philip IV, and with the support of Pope Innocent XII. Full name is The Royal and Pontificial Major University of Saint Francis Xavier of Chuquisaca
Brasil Federal University of Rio de Janeiro 1920 (precursors trace back to 1792) Created in 1920 as "University of Rio de Janeiro". [142] Has as precursors the Polytechnic School (founded as Royal Academy of Artillery, Fortification and Design in 1792), [143] the National College of Medicine (founded as Academy of Medicine and Surgery in 1808) [144] and by the National College of Law (founded in 1891). [145] [146]
Federal University of Paraná 1912 (closed in 1920, refounded in 1951) Closed as university in 1920. Refounded as university in 1951.
Federal University of Amazonas 1913 (closed in 1926, refounded in 1962, precursors trace back to 1909) Has as precursor the Free University School of Manaós, founded on 17 January 1909. Became the University of Manaós in 1913. Closed 1926, reformed 1962 as the University of Amazonas. [147]
Chile Universidad de Chile 1842 successor to the "Real Universidad de San Felipe", created in 1738. The oldest university in Chile
Colômbia Spanish Empire Saint Thomas Aquinas University 1580 Founded in 1580 by the Dominican Order. It is the second-oldest university in the Americas.
Costa Rica University of Costa Rica 1940 The first institution dedicated to higher education in Costa Rica was the University of Saint Thomas (Universidad de Santo Tomás), which was established in 1843. That institution maintained close ties with the Roman Catholic Church and was closed in 1888 by the progressive and anti-clerical government of President Bernardo Soto Alfaro as part of a campaign to modernize public education. The schools of law, agronomy, fine arts, and pharmacy continued to operate independently. In 1940, those four schools were re-united to establish the modern UCR, during the reformist administration of President Rafael Ángel Calderón Guardia.
Cuba Spanish Empire Universidad de La Habana 1728
Dominica Ross University School of Medicine 1978
República Dominicana Universidad Autónoma de Santo Domingo 1914 successor to the Universidad Santo Tomás de Aquino, 1558, which disappeared in 1823
Equador Gran colombia Central University of Ecuador 1826 Real y Pontificia Universidad de San Gregorio Magno
El Salvador El Salvador Universidad de El Salvador 1841 founded on 16 February 1841, by the President Juan Lindo,
Grenada St. George's University 1976
Guatemala Spanish Empire Universidad de San Carlos de Guatemala 1676 (as colegio in 1562) The San Carlos University was the fourth university founded in The Americas, when Guatemala was part of the Viceroyalty of New Spain. It had five major transformations but never ceased teaching. It grew out of the Colegio de Santo Tomas de Aquino (a high school), founded in 1562 by Bishop Francisco Marroquin. The university's founder was King Charles II of Spain and it was consecrated by Pope Innocent XI in 1687. Activities were interrupted after Central American independence in 1821. [ citação necessária ]
Guyana British Guiana University of Guyana 1963
Haiti Haiti Universite d'Etat d'Haiti 1820
United States occupation of Haiti Université Adventiste d'Haïti 1921
Honduras Universidad Nacional Autónoma de Honduras 1847
México Universidad Nacional Autónoma de México 1910 traces its origins back to Real y Pontificia Universidad de México (1551–1865) but no institutional continuity
Universidad Michoacana de San Nicolás de Hidalgo 1917 (as university college 1540) founded in 1540 as Colegio de San Nicolás Obispo (St. Nicholas Bishop College) and later in 1543 was appointed Real Colegio de San Nicolás Obispo (Royal St. Nicholas Bishop College) by King Carlos I of Spain it was converted into a university on 15 October 1917. [148]
Panamá Universidad de Panamá 1935
Paraguai Universidad Nacional de Asunción 1889
Peru Spanish Empire National University of San Marcos 1551 Also known as the "Dean university of the Americas" This is the first officially established (privilege by Charles V, Holy Roman Emperor) and the longest continuously operating university in the Americas.
Peru National University of Saint Augustine 1828
Porto Rico University of Puerto Rico, Rio Piedras 1903 Original campus of the University of Puerto Rico
Suriname Reino da Holanda Anton de Kom University 1968
Uruguai Universidad de la República 1849
USVI University of the Virgin Islands 1967 (degree awarding college 1962 university 1986) Established by act of legislature in 1962. Opened in 1963 as the College of the Virgin Islands, offering only associate degrees. First bachelor's degree programmes 1967. Became the University of the Virgin Islands in 1986. [149]
Venezuela Spanish Empire Central University of Venezuela 1721

Northern America Edit

In the United States, the colonial colleges awarded degrees from their foundation, but none were formally named as universities prior to the American Revolution, leading to various claims to be the first university in the United States. The earliest Canadian institutions were founded as colleges, without degree awarding powers, and gained degree granting authority and university status later.


Around 1726 – Mount Vernon, USA

Mount Vernon, USA

Mount Vernon certainly deserves a mention as it was the home of George Washington, the first president in the USA.

According to sources, it was built around 1727 in Alexandria. Located 16 miles from Washington DC, Mount Vernon is a 500-acre estate that includes a fourteen-roomed mansion.

Although the estate’s architect is unknown, the house is believed to have been built on the lines of Palladian architecture.

The main estate has three blocks. While the principal block of the building is a two storey structure, the remaining ones are one storey.

Image copyright of David Samuel

Around 1768 – Monticello, USA

Monticello, USA

Located in Virginia, Monticello is believed to have been the first American home with a dome ceiling. The house was built in around 1726 by Thomas Jefferson, the third president in the USA.

According to Monticello.org, Jefferson built and rebuilt Monticello over a period of forty years. This building has east and west porticos. While east portico opens to a parlour, west opens to grand entrance hall. Towards north and south, there are terraces.

Sources say that Jefferson built the staircase rather narrow and hard to climb, but it was far more elegant than regular staircases at the time.

Image copyright of Christopher Hollis for Wdwic Pictures


Oldest continuously used national flag

The oldest, continuously used national flag is that of Denmark. The current design of a white Scandinavian cross on a red back ground was adopted in 1625 and its square shape in 1748. In Denmark it is known as the 'Dannebrog' or 'Danish cloth'.

Although Denmark was never part of the Roman Empire, similar designs were used by the Empire to represent provinces, as the white cross is symbolic of Christianity. The Scandinavian cross has its horizontal stripe slightly to the left hand side of the square as you face it.

Although there is no prescribed definition of what constitutes “continuous" use, the Danish flag was certainly in use in the 1370s, as the Gelre Armorial by Claes Heinenzoon (or Heynen 1345-1414) shows. It was also certainly used in the naval battles during the war against Sweden in the 1560s, as shown in a watercolour in Rudolf Dewenter’s Bericht von Pulver und Feuerwerken from 1585. In his War Articles, promulgated on 8 May 1625, King Christian IV issued the first known regulations for flying the flag and Colours of Command in the Navy in Denmark.

It is often claimed that the Scottish Saltire can lay claim to a longer continuous use as a national flag. According to the Flag Institute, evidence for both the Saltire and the Dannebrog is fragmentary yet their vexillologists believe that the balance of evidence points to Denmark as being older: although St Andrew was named as the country's patron saint in the 14th century, there appears to be no direct evidence that the Saltire was always carried on a blue flag from that date. Flags captured at the battle of Flodden in 1513 bore a saltire, but they were not white on blue. A bill for the manufacture of flags from the same year mentions a red St Andrews flag, not a blue one. The flags captured in 1649–50 by Cromwell after the battles of Dunbar and Worcester include ones with black or red saltires in addition to white ones. Yet a white saltire on a blue flag was thought of as sufficiently emblematic of Scotland for it to be included in the Union Jack in 1606. It would therefore appear that the saltire, and the saltire alone, that was the symbol of Scotland – the colours of the flag were not of the first importance, particularly in the first half of the 16th century. This would, according to the Flag Institute, bar it from being defined as “continuous" use of the modern flag.

All records listed on our website are current and up-to-date. For a full list of record titles, please use our Record Application Search. (You will need to register / login for access)


Silk Road to China

The Silk Road routes included a large network of strategically located trading posts, markets and thoroughfares designed to streamline the transport, exchange, distribution and storage of goods.

Routes extended from the Greco-Roman metropolis of Antioch across the Syrian Desert via Palmyra to Ctesiphon (the Parthian capital) and Seleucia on the Tigris River, a Mesopotamian city in modern-day Iraq.

From Seleucia, routes passed eastward over the Zagros Mountains to the cities of Ecbatana (Iran) and Merv (Turkmenistan), from which additional routes traversed to modern-day Afghanistan and eastward into Mongolia and China.

Silk Road routes also led to ports on the Persian Gulf, where goods were then transported up the Tigris and Euphrates rivers.

Routes from these cities also connected to ports along the Mediterranean Sea, from which goods were shipped to cities throughout the Roman Empire and into Europe.


What is the world’s oldest democracy?

The term democracy, which means “rule by the people,” was coined by the Greeks of ancient Athens to describe their city-state’s system of self-rule, which reached its golden age around 430 B.C. under the skilled orator and politician Pericles. It is probable that the Athenians were not the first group of people to adopt such a system (a few places in India have traditions of local democracy that claim earlier origins) but because the Greeks named it, they have a good claim at being the 𠇏irst” democracy, even though large portions of Athenian society—most notably women and slaves𠅌ould not participate.

The title of oldest continuously functioning democracy is more hotly contested. Iceland, the Faroe Islands and the Isle of Man all have local parliaments founded in the ninth and 10th centuries, when Vikings pillaged, plundered and set up legislative bodies on the sea-islands of far northern Europe. Iceland’s national parliament, the Althing, dates back to A.D. 930, but it spent centuries under Norwegian and Danish rule. Man and the Faroes, meanwhile, remain dependencies of the United Kingdom and Denmark, respectively.

Os Estados Unidos estão entre as democracias modernas mais antigas, mas são apenas as mais antigas se os critérios forem refinados para desqualificar requerentes que vão da Suíça a San Marino. Some historians suggest that the Native American Six Nations confederacy (Iroquois), which traces its consensus-based government tradition across eight centuries, is the oldest living participatory democracy. Others point out that meaningful democracy only arrived at a national level in 1906, when Finland became the first country to abolish race and gender requirements for both voting and for serving in government.


Assista o vídeo: AS ESTRADAS MAIS PERIGOSAS DO MUNDO! #CURIOSIDADES #ESTRADAS #SHORTS #VIRAL